Olá!!!
Posso ajudar?

Produtos para cães e gatos, brinquedos para cães destruidores e moderados, camas elevadas e portas de passagem.

Aviso X

0

R$ 0,00

Que pena!

Ainda não há itens em seu carrinho.

Cuidados com os cães no verão: dicas para seu pet e muito mais!

quarta-feira, 15 de dezembro de 2021 20h05min45s America/Sao_Paulo

Por buddytoys buddytoys

Cuidados com os cães no verão: dicas para seu pet e muito mais!

Como cuidar de seu cachorro no verão!


Quando se pensa no verão, o que vem à mente são combinações maravilhosas como piscina, praia, férias e viagens, além de momentos inigualáveis ao ar livre com seu companheiro peludo de quatro patas. Todavia, nem tudo são flores, visto que temperaturas muito altas podem trazer maiores riscos ao seu cachorro.

Alguns cães podem apresentar sintomas como hipertermia, ou seja, um aumento significativo da temperatura. Isso porque animais não suam da mesma forma que os humanos. Também é comum notar problemas como infecções de pele, quadros de desidratação, queimaduras solares, machucados nas patas, além de dificuldade na respiração. Este último ocorre, principalmente, em cães braquicefálicos.

Desse modo, existe uma preocupação dos tutores sobre as formas adequadas de cuidar de seu pet e aproveitar a época do verão. Pensando nisso, criamos este artigo com algumas informações sobre os cuidados que você deve ter com o seu bichinho e como amenizar o desconforto deles na época mais quente do ano.

Confira!

 

Sempre dê ração para seu cachorro em um lugar fresco e com abrigo do sol 

Seja em casa ou em passeios, é sempre muito importante que seu pet tenha acesso a locais frescos e com sombra no momento da alimentação. Por isso, mantenha os potes em ambientes arejados e, nos passeios, priorize lugares com sombras de árvores para fazer pausas estratégicas para que ele descanse. Não se esqueça também de levar um cantil de água. 

Ademais, fique de olho na situação das tigelas do seu bichinho, pois elas precisam estar limpas e com acesso a água e ração fresca. Uma boa dica é comprar pote de ração de cerâmica, visto que estes preservam a temperatura ideal. Outra dica valiosa é que você pode, durante o verão, mudar a comida do seu cão para uma ração úmida, aumentando assim a ingestão de líquidos e melhorando o funcionamento do trato urinário.

 

Não deixe seu cachorro em lugares abafados 

Deixar seu cachorro no carro ou em qualquer lugar abafado e sem circulação de ar não é uma boa ideia, uma vez que pode provocar um excesso de calor corporal que ultrapassa a capacidade compensatória do organismo, isto é, a hipertermia, resultando em uma dificuldade de resfriar o corpo. 

Para evitar esse calor excessivo, arrume um local fresco e ventilado para seu cachorro. Sempre com janelas abertas e use o ventilador ou ar-condicionado. 


Cuidado com os períodos mais quentes do dia 

Os cachorros já costumam ter a temperatura alta - variação entre 38ºC e 39,3ºC. Desse modo, expor seu animal em períodos mais quentes do dia pode ser extremamente prejudicial. Com isso, é interessante que os passeios com seus peludos ocorram antes das 10 horas ou depois das 16 horas, visto que nesses períodos os raios solares têm menor incidência.

Na verdade, essa dica também serve para as outras estações do ano, isto é, evite passear com seu pet entre 10 às 16 horas, assim, você o protege da radiação UVB que pode causar câncer de pele em seu animal.



Use protetor solar para cachorros

Outro aspecto que é preciso ter cuidado no momento do passeio é a proteção contra as queimaduras solares. Por isso, é importante usar o protetor solar, especialmente se seu bichinho tiver a pelagem clara ou curta. Priorize a aplicação a cada 4 horas e utilize somente filtros solares feitos especialmente para animais de estimação.

Se estiver na dúvida, converse com seu veterinário para saber qual produto é adequado para o tipo de pele do seu cachorro.


Mantenha seu cachorro sempre hidratado 

A desidratação em animais de estimação é maior durante o verão. Pensando nisso, mantenha o bebedouro limpo e com água fresca. Ao sair para passear, priorize por pausas a cada trinta minutos para oferecer água ao seu pet. Já em casa, uma boa alternativa é espalhar potes de água e alguns alimentos em lugares diferentes da casa para um acesso mais facilitado para o animal. 

Os alimentos podem variar entre legumes ou frutas frescas. Você também pode dispor de pedrinhas de gelo no pote de água do seu animalzinho ou comprar um bebedouro térmico ou automático que são capazes de resfriar a água. Outra bebida liberada para seu pet é a água de coco gelada.

 

Veja a frequência de banhos para cachorros no verão

 

A frequência de banho do seu pet vai depender de vários fatores, como características da pelagem, a saúde do cachorro ─ se, por exemplo, ele tem alguma alergia ou doença ─, a sua raça e o tamanho. No verão, o que acontece é que a maioria das pessoas preferem aumentar a frequência do banho, acreditando que estão aliviando o calor, mas essa lógica não está correta.

Isso porque os cachorros não possuem glândulas sudoríparas. Com isso, não ocorre a reprodução de suor. Desse modo, não é necessário aumentar o número de banhos nessa época do ano. O recomendado é que seu pet tome banho a cada sete dias se for pequeno e a cada quinze dias se for maior.

Se optar por aumentar a frequência de banho, o ideal é consultar o médico veterinário do seu animal, para que não ocorra banhos em excesso que prejudiquem a saúde do seu amiguinho. Veja ainda, 
Os 10 melhores shampoos para cachorro de 2021 e descubra o produto ideal para o seu bichinho.


Confira se seu cachorro precisa de uma tosa 

Você pode pensar que tosar seu peludinho é uma boa solução para aliviar o calor, entretanto, saiba que a pelagem é naturalmente projetada como um isolante térmico que mantém o cachorro fresco durante o verão. Embora pelos em grande quantidade possam atrapalhar sim a troca de calor entre o corpo do animal e o ambiente, a ausência deles deixa seu cão muito exposto ao sol. 

A tosa, então, necessita de alguns cuidados. Primeiramente, verifique se é indicado para a raça do seu pet, por exemplo, raças de origem em regiões frias como o Samoieda podem se sentir refrescados com a tosa, porém, raças com subpelo como Chow-Chow são prejudicados, visto que eles podem perder a camada de proteção. 

Verificada as condições da raça, quando for tosar seu cachorro no verão, sinta-se à vontade para aparar a pelagem, mas jamais tosar completamente, desse modo, é necessário se certificar que a pelagem está, ao menos, uma polegada inteira de pêlos, assim, você protege seu animalzinho das queimaduras solares. 


Use repelentes para cachorros no verão 

No verão, temos o aumento da proliferação de pulgas, mosquitos, carrapatos e outros parasitas, e isso pode ser um incômodo para seu pet, visto que podem transmitir doenças como a dirofilariose, leishmaniose, berne e miíase e, também, a picada desses insetos podem ocasionar alergias e coceiras.

Para evitar esses incômodos no seu pet, não se esqueça de fazer uso de repelentes. E existem vários tipos, como o spray ─ necessário borrifar em todo o corpo do seu cachorro diariamente ─; coleira; pipeta ─ necessário aplicar na nuca do seu cão a cada trinta dias ─; eletrônico ─ indicado para uso noturno ─ e, por último, o odorizador ─ necessário ser aplicado por todo o ambiente da casa.


Mantenha a carteirinha de vacinação e vermifugação em dia 

No verão, ocorre um maior contato entre os pets, visto que os passeios aumentam. Por isso, é necessário manter a vacinação e a vermifugação em dia, desse modo, você protege seu cachorro contra doenças infecciosas ou agentes circulantes dessas doenças como bactérias, parasitas, vírus e outros microrganismos.

Além disso, você não ajuda somente na saúde de seu pet, como também se protege de doenças que podem ser contagiosas em humanos. Então, certifique-se que todas as vacinas foram aplicadas corretamente em seu cachorro, seguindo o calendário de vacinação e visitando o veterinário.


Tenha cuidados extras com cachorros com focinho curto 

Os cachorros se refrescam através da respiração ofegante e glândulas sudoríparas que possuem nas patas. Assim, para saber o quanto seu pet está com calor, apenas verifique sua respiração, quanto mais ofegante, mais calor está sentindo. No entanto, é necessário ficar atento aos cães de focinho achatado (conhecidos como braquicefálicos), visto que seus focinhos têm uma conformidade diferente.

O que resulta em uma maior tendência a problemas respiratórios, ocasionando em uma dificuldade para perder calor. Desse modo, fique atento aos pets como o Pug e Shih Tzu, uma vez que estes podem ter um aumento descontrolado da temperatura corporal, resultando em desmaios, convulsões, desidratação, paradas respiratórias e outros.


Jamais deixe seu cachorro dentro do carro sozinho!!! 

Qual o pet que não gosta de andar de carro, não é mesmo? Entretanto, não é recomendado deixá-los presos dentro do automóvel, ainda mais em uma época em que o clima está bastante quente, fazendo com que a temperatura do carro eleve até cinco graus em quinze minutos. Nem mesmo a janela aberta resolve a situação e, muito menos, o ar-condicionado que pode, imprevistamente, parar de funcionar.

Portanto, deixe seu cachorro em casa ou leve-o com você. E se vir algum animal sozinho em um carro, chame imediatamente a polícia se não encontrar o dono. 


Fique de olho nos sinais de desconforto e cansaço 

Se seu animalzinho mostrar sinais como ofegação ou salivação excessiva, dificuldade de respirar, fraqueza muscular, pouca vontade de se mexer, comer ou beber água, fique de olho e disponha de um local com sombra e arejado para seu pet descansar. Além disso, você também pode dispor de sacos de gelo na região da barriga e axilas do seu cachorro para refrescá-lo ainda mais. 

 _____________________________________________________________________________________________________

Referência 

www.portaldodog.com.br 

www.audoro.com.br